"Transforme a prática em ambiente de reflexão!"

Blog

Archive for fevereiro 2017

Sobre os requisitos para ser uma pessoa normal

 

Você é normal? Como você pode afirmar isso? E se houvesse uma lista detalhada de requisitos, você gostaria de atender todos eles? Esse é o ponto de partida do divertido e reflexivo filme espanhol Requisitos para ser uma pessoa normal, escrito, dirigido e protagonizado por Letícia Dolera, que interpreta Maria, uma jovem de 30 anos que deseja se tornar uma pessoa normal seguindo uma pequena lista.

Continue lendo

Livro II – Primavera Capítulo I – O Museu

post-estacoes-consciencia-escultura-degas-bailarinaLivro II – Primavera :: Capítulo I – O Museu

A sala começou a ser iluminada por raios de Sol ainda tímidos, passando pelas frestas da cortina, abertas pelo balanço do ar frio da manhã de sábado. Consultou o relógio, lembrando do compromisso que não havia aceito, mas também não tinha se negado. Levantou, foi até a cozinha e preparou uma xícara de café. Foi até a sacada, abriu as cortinas e sentiu o vento frio que vinha do jardim. Naquela manhã não havia o balé de carros, nem mães ou pais cheios de bolsas e pastas levando crianças ainda sonolentas em seus uniformes escolares.

Deixou de lado o exercício de observação e se aprontou como se tivesse pressa.

Continue lendo

O princípio da Adesão Livre nas mudanças organizacionais

Post-arg01.17Nesses mais de onze anos de jornada, cada projeto com o qual contribuí também me ensinou algo importante. Lembro da primeira vez em que me preparava para mediar uma experiência de aprendizagem com um grupo profissionais ligados a uma cooperativa. Na reunião de alinhamento da proposta fui apresentado ao material que conceituava o modelo de negócio, regras e, o mais importante, os Princípios do Cooperativismo. Dentre eles um me chamou a atenção de maneira especial: Adesão Voluntária e Livre.

Continue lendo

Sobre as belezas ocultas!

post - arg-f01.17 - Collateral-Beauty_img_885_590Gosto de filmes que me fazem pensar… E adoro ainda mais aqueles cujas reflexões revelam mais sobre as belezas ocultas aos olhos desatentos do cotidiano. Assim foi para mim a experiência de assistir (e sentir) Collateral Beauty.

Logo na primeira cena, a perspectiva sobre as três abstrações, abordando a relação entre o amor, o tempo e a morte pode até parecer revelar toda a trama do filme, mas a graça está em descobrir o real significado de cada uma dessas dimensões da vida humana.

Continue lendo